CartaExpressa

‘Mesmo fim de Marielle’: MPF denuncia internauta por incitar crime contra deputada do PSOL

Talíria Petrone (RJ) foi ameaçada nas redes sociais após comentar os trabalhos da CPI do MST

Deputada federal Talíria Petrone. Foto: Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

O Ministério Público Federal denunciou à Justiça um internauta de Pernambuco por difamação e incitação ao crime de ódio contra a deputada federal Talíria Petrone (PSOL-RJ). Na rede social X, o acusado afirmou desejar que a deputada fosse vítima de um homicídio.

Além da condenação pelos crimes virtuais, o MPF pede que o internauta pague uma indenização de 10 mil reais à parlamentar, como reparação mínima por danos morais.

A ameaça ocorreu quando o acusado reagiu a uma publicação da deputada sobre os trabalhos da CPI do MST. No comentário, o internauta ofendeu Talíria e afirmou esperar que o “fim” dela fosse “parecido com o de sua colega de partido, a Marielle Franco”.

Em nota, o procurador da República Rodolfo Lopes destaca que o fato de Marielle, também filiada ao PSOL, ter sido assassinada em razão de sua atuação política revela o nítido intuito do internauta de constranger e intimidar Talíria, “mediante violência psicológica”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.