CartaExpressa,Educação,Política

MEC tem menor investimento em 9 anos e não usa o dinheiro disponível

MEC tem menor investimento em 9 anos e não usa o dinheiro disponível

O ensino básico foi o que teve menor investimento durante a pandemia do novo coronavírus

Fachada do Ministério da Educação (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)

Fachada do Ministério da Educação (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)

O Ministério da Educação teve em 2020 o menor dinheiro em caixa desde 2011 e, mesmo assim, não usou todo o recurso disponível. A informação consta em relatório feito pela organização Todos pela Educação, que foi divulgado no domingo 21.

Ao todo, foram destinados 143,3 bilhões de reais ao MEC no ano passado. Antes, o menor valor havia sido em 2011, com 127,6 bilhões.

A pasta, no entanto, usou 116,5 bilhões de reais, ou 81% do valor total em 2020.

Promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro, o ensino básico foi o que teve menor investimento no ano passado. Dos 42,8 bilhões disponíveis, o MEC destinou apenas 32,5 bilhões (71%).

A ineficiência na gestão do MEC durante a pandemia poderá agravar ainda mais as políticas de médio e longo prazo da educação no País, aponta outro relatório feito pela ONG.

O MEC ainda não se pronunciou sobre o relatório.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem