CartaExpressa

Marcos do Val atribui chacinas escolares nos EUA à ‘mesclagem’ de classes sociais

O senador é relator do projeto que amplia o acesso às armas de fogo

Reprodução/TV Senado/YouTube Reprodução/TV Senado/YouTube
Reprodução/TV Senado/YouTube Reprodução/TV Senado/YouTube

O senador Marcos do Val (Podemos-ES), relator do projeto que amplia o acesso às armas de fogo, atribuiu as chacinas com armas de fogo nos Estados Unidos à “mesclagem” de classes sociais nas escolas públicas.

“Nós temos situações que os americanos vivem, o chamado ‘active shooting’, atiradores ativos, porque as escolas são públicas e lá é uma mesclagem de uma classe social baixa com uma classe social alta, por cores, por ideologias, e existe muito ‘bullyings’ (sic), e as pessoas têm acesso às armas e fazem esses massacres”, disse  o parlamentar.

“Que os estudos nos Estados Unidos entenderam que era muito mais fácil e melhor, ao invés de restringir o acesso às armas, liberar o acesso às armas, inclusive aos professores”, acrescentou, dando o exemplo do estado do Texas. “Os professores hoje praticam e treinam como evitar um atirador ativo”, acrescentou.

As declarações do senador foram dadas durante audiência da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania no Senado nesta terça-feira 14 que discutiu o PL 3723/2019, de autoria do governo Bolsonaro, que amplia o acesso às armas de fogo. O projeto foi aprovado pela Câmara no fim de 2019 e está parado no Senado.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!