CartaExpressa,Política

Mandetta nega desistência de candidatura à Presidência e diz que anúncio foi ‘precipitado’

Mandetta nega desistência de candidatura à Presidência e diz que anúncio foi ‘precipitado’

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. Foto: Erasmo Salomão/MS

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. Foto: Erasmo Salomão/MS

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) afirmou nesta quinta-feira 25 que não há “nenhuma decisão tomada” sobre uma possível candidatura à Presidência em 2022. O DEM está em processo de fusão com o PSL para a criação do União Brasil. A nova sigla será comandada pelo presidente do PSL, Luciano Bivar.

Foi o próprio Bivar quem, mais cedo, anunciou a suposta desistência de Mandetta. “O Mandetta disse que prefere disputar cargo no Legislativo em Mato Grosso do Sul. Não descartamos apoiar ninguém. Entraram no radar MDB, PSDB e Podemos, com Moro. Mas também podemos ter candidatura própria”, disse ao blog de Gerson Camarotti no G1.

Horas depois, à GloboNews, Mandetta declarou que “de uma reunião que era para ser de discussão de cenário precipitou-se em dizer que houve uma desistência de campanha”.

“Eu jamais vou desistir do Brasil, de dar a minha opinião, de colocar a minha visão. Se tiver alguém que seja essa pessoa que junte… É o Moro, é o Doria, é o Eduardo Leite? Eu sou companheiro para tudo, desde que tenha coerência, maturidade e conteúdo. Meu nome continua dentro desse partido colocado, é natural que se olhe. Tem outros nomes dentro do partido que podem ter condição de levar. Então, vamos ver como será o andar”, acrescentou.

Mandetta também afirmou que da reunião saíram “ruídos de comunicação” e que o anúncio da desistência decorre de uma interpretação de Bivar. Frisou, porém, que o novo partido deverá promover um “debate interno para ver o caminho que vai tomar”.

“Eu sou companheiro para estar junto de quem aglutina. Se o meu nome aglutinar, estou à disposição do meu partido. Não sei como será agora nessa nova agremiação política, que está se reconhecendo”, completou o ex-ministro de Jair Bolsonaro.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem