CartaExpressa

Lula volta a defender reforma no Conselho de Segurança da ONU: ‘O mundo mudou’

A declaração vem durante a abertura da reunião do Conselho de Representantes da Liga dos Estados Árabes, no Egito

O presidente Lula (PT) discursa na capital do Egito, Cairo. Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a defender uma reforma no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Para o petista, o colegiado não pode mais ficar restrito aos “vencedores e perdedores da Segunda Guerra Mundial”.

A declaração do presidente aconteceu durante a abertura da reunião do Conselho de Representantes da Liga dos Estados Árabes, no Cairo, no Egito. Nesta semana, Lula faz uma gira africana, que também inclui uma visita à Etiópia, que deverá ter início amanhã.

“Precisamos ter um debate muito importante, para que a gente repense a ONU. Para que a gente repense a nova governança global”, afirmou Lula. 

“Não é possível que a ONU seja governada pelos vencedores e perdedores da Segunda Guerra Mundial. É importante lembrar que o mundo mudou, a gente política mudou, os países ficaram maiores e mais importantes”, disse.

O presidente defendeu, ainda, aumentar o número de países no Conselho de Segurança. Segundo ele, a mudança viria atrelada ao fim do direito de veto. 

“É preciso pensar que, se a ONU não levar muito a sério a existência do seu conselho de segurança permanente, o mundo não terá paz”, lembrou.

Em outubro do ano passado, os Estados Unidos conseguiram barrar a proposta do governo brasileiro que pedia, além de outros pontos, a criação de um corredor humanitário na Faixa de Gaza.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar