CartaExpressa

Lula responsabiliza ONU por conflitos entre Rússia e Ucrânia: ‘Está virando decorativa’

Segundo ex-presidente, as Nações Unidas não teriam se movimentado para impedir a ofensiva russa desta quinta-feira: ‘poderia ter convocado uma assembleia geral’

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ao iniciar uma entrevista a rádios de Goiás e do entorno de Brasília nesta quinta-feira 24, afirmou que na sua visão a Organização das Nações Unidas tem grande parcela de culpa no conflito que se instalou entre Rússia e Ucrânia durante a madrugada.

Segundo explicou, a organização perdeu representatividade e estaria caminhando para um papel apenas decorativo. Lula foi enfático ao dizer que as Nações Unidas poderiam ter evitado a guerra.

“Em nome de um cidadão que acredita na paz, eu acho importante a gente repudiar mais uma guerra no século XXI, coisa desnecessária, que poderia ter sido resolvida se a ONU tivesse mais força”, disse Lula em um trecho da entrevista.

“É importante a gente chamar a atenção das Nações Unidas: a ONU precisa levar em conta que ela não tem mais a representação que tinha quando foi criada. É importante ela levar em conta que o mundo mudou e que é preciso colocar mais países para participar das Nações Unidas e do Conselho de Segurança”, acrescentou em outro trecho ao cobrar mais representações africanas e sul-americanas na organização.

Mais adiante, Lula então destacou que, enquanto a ONU não incluir novos países e mudar sua governança, ela estará caminhando para ter um papel apenas decorativo. O ex-presidente passou então a questionar as poucas ações tomadas pelo grupo para conter o conflito desta madrugada.

“Ela poderia ter tomado mais decisões para evitar essa guerra, poderia ter convocado uma assembleia geral. Por que não convoca uma assembleia geral em caráter emergencial? Por que fica só entre quatro ou cinco pessoas que se acham donos do mundo, que são os membros permanentes do conselho de segurança?”, questionou o ex-presidente.

O petista ainda ironizou o papel desempenhado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em relação aos conflitos internacionais na última semana. Para ele, a viagem do ex-capitão à Rússia foi ‘mais uma grande mentira’ contada por ele e seus aliados.

“Parece até uma piada, Bolsonaro foi lá dizendo que ia resolver a paz, então agora acho que é importante mandar ele para a Ucrânia. Como ele adora fake news e mentira, tentou ir lá dizer que foi em uma missão, mas até hoje não sabemos o que foi fazer”, ironizou Lula.

Antes, o ex-presidente lamentou os conflitos e disse não concordar com as atitudes de Vladimir Putin de impor uma ofensiva aos territórios de Lugansk e Donetsk, no leste da Ucrânia.

Getulio Xavier

Getulio Xavier
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.