CartaExpressa,Política

‘Lula está indo tomar café’: Vaza Jato mostra como procuradores monitoravam grampos do ex-presidente

‘Lula está indo tomar café’: Vaza Jato mostra como procuradores monitoravam grampos do ex-presidente

Acompanhamento dos telefonemas do petista era feito minuto a minuto pela força-tarefa em Curitiba

Deltan Dallagnol e Lula. Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil e AFP

Deltan Dallagnol e Lula. Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil e AFP

Diálogos entre procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato obtidos pela Operação Spoofing indicam o ostensivo monitoramento dos telefones dos advogados do ex-presidente Lula e do próprio petista.

O sigilo dos grampos foi derrubado pelo então juiz Sergio Moro em março de 2016, quando ele era responsável pela 13ª Vara Federal, em Curitiba. A famosa conversa entre Lula e a ex-presidenta Dilma Rousseff sobre um termo de posse dele como ministro-chefe da Casa Civil foi realizada quase duas horas depois de Moro determinar à Polícia Federal a suspensão das interceptações telefônicas.

O acompanhamento dos telefonemas do ex-presidente era feito minuto a minuto. Em um dos casos, mensagem no grupo de Telegram dos procuradores informava que “LILS [Luiz Inácio Lula da Silva] está indo nesse instante tomar café da manhã com a Presidente”.

Leia algumas das conversas:

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Editor do site de CartaCapital

Compartilhar postagem