CartaExpressa

Luis Miranda diz que Bolsonaro citou o nome de um parlamentar envolvido no ‘rolo’ da Covaxin

‘O presidente sabe toda a verdade, podia ter me poupado de passar esse contrangimento aqui’, reclamou o depoente

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) afirmou à CPI da Covid nesta sexta-feira 25, em mais de uma ocasião, que o presidente Jair Bolsonaro presumiu de quem seria a culpa pelas possíveis irregularidades na negociação do governo federal pela vacina indiana Covaxin.

No início da oitiva, Miranda disse que Bolsonaro, ao ser informado das suspeitas, respondeu que “isso é coisa de fulano”, referindo-se a um parlamentar. O depoente, porém, não nomeou o congressista.

Adiante na sessão, Luís Miranda voltou ao tema. Questionado sobre a reação de Bolsonaro ao ser comunicado sobre possível fraude no negócio, disse que “o presidente falou com clareza que iria encaminhar todas as informações para o DG [diretor-geral] da Polícia Federal”.

“E chegou a tecer um comentário de um nome de um parlamentar que não me lembro bem, dizendo que é mais um rolo de… dizendo o nome da pessoa”, acrescentou o deputado.

“O presidente sabe toda a verdade, podia ter me poupado de passar esse contrangimento aqui. Bastava ele falar que eu fui lá, que eu despachei com ele, que ele mandou para quem quer que seja. Ele sabe de quem é a confusão, citou o nome dessa pessoa, não me recordo bem, já tinha mais ou menos o conhecimento do tamanho do problema e ia encaminhar para o DG da PF”.

Assista à sessão ao vivo:

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!