CartaExpressa

Lote com insumos para fabricação da vacina chinesa chega a São Paulo

De acordo com João Doria, até o início do próximo ano, o governo deve receber as 46 milhões de doses da Coronavac

Jean Gorinchteyn, Doria e Dimas Covas. Foto: Reprodução redes sociais Jean Gorinchteyn, Doria e Dimas Covas. Foto: Reprodução redes sociais
Jean Gorinchteyn, Doria e Dimas Covas. Foto: Reprodução redes sociais Jean Gorinchteyn, Doria e Dimas Covas. Foto: Reprodução redes sociais

Um lote com 600 litros de matéria-prima da Coronavac, vacina produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, chegou nesta quinta-feira 3 a São Paulo.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), esteve no Aeroporto de Guarulhos ao lado do diretor do instituto, Dimas Covas, e do secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, para acompanhar a chegada do material.

De acordo com o governador, até o início do próximo ano, o governo deve receber as 46 milhões de doses previstas.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!