CartaExpressa

Kassab quer chapa com Rodrigo Pacheco e Eduardo Leite para enfrentar Lula e Bolsonaro em 2022

O presidente do PSD ainda avalia que ‘não dá mais para acreditar’ no governo de Jair Bolsonaro e que o País ‘está fora de controle’

Gilberto Kassab. Foto: José Cruz/Agência Brasil
Gilberto Kassab. Foto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, disse nesta quarta-feira 29 que torce pela vitória do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nas prévias que definirão o candidato do PSDB à Presidência em 2022. Se isso acontecer, avalia Kassab, poderá se formar uma chapa entre Leite e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), apoiado pelo PSD para a corrida rumo ao Palácio do Planalto.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Kassab afirmou que “onde o Rodrigo Pacheco estiver, terá nosso apoio” e que o nome de Eduardo Leite “tem crescido muito”. O governador de São Paulo, João Doria, e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio também disputam as prévias tucanas.

“Torço para que ele [Leite] vença, porque penso que uma composição do Eduardo com o Rodrigo Pacheco é bem possível. Digo isso pela primeira vez: se o Eduardo ganhar, defendo uma composição dele com o Rodrigo Pacheco. Os dois partidos têm todas as condições de se entenderem para um ser presidente e o outro ser vice”, declarou Kassab. “Com João Doria, esse caminho de composição é muito difícil. Ele tem um histórico muito exclusivista, muito personalista”.

O pessedista também afirmou que “não dá mais para acreditar” no governo de Jair Bolsonaro e que o País “está fora de controle”.

“Temos de preparar uma alternativa para o País. Este governo não tem gestão, não tem comando”, criticou. “Espero que o tempo passe rápido. Precisamos o mais rápido possível virar a página desse governo”.

Kassab ainda disse ter “quase certeza de que o País, no final do ano que vem, estará muito pior, em todos os aspectos”.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!