CartaExpressa,Política

Justiça tranca investigação contra Felipe Neto por chamar Bolsonaro de ‘genocida’

Justiça tranca investigação contra Felipe Neto por chamar Bolsonaro de ‘genocida’

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

A Justiça do Rio de Janeiro decidiu, nesta quarta-feira 12, trancar a investigação policial contra o youtuber Felipe Neto por ter chamado o presidente Jair Bolsonaro de ‘genocida’. A juíza Gisele Guida de Faria, da 38ª Vara Criminal da Comarca da Capital, seguiu o parecer do Ministério Público do Rio de Janeiro, pelo encerramento do caso.

A apuração foi iniciada depois que o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos), filho do presidente da República, protocolou uma notícia-crime. A investigação se daria com base na Lei de Segurança Nacional, por supostas calúnia e difamação contra o ocupante do Palácio do Planalto.

Na manifestação do MP, o promotor Guilherme Macabu Semeghini reconheceu “flagrante ilegalidade” na investigação. Antes da decisão desta quarta, no entanto, o processo já estava suspenso por uma decisão liminar que atendeu a um pedido da defesa de Felipe Neto.

A investigação contra o youtuber foi aberta pelo delegado Pablo Dacosta Sartori, titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática do Rio. Sartori também abriu um processo contra Felipe Neto por corrupção de menores, que já teve um parecer do MP-RJ pelo arquivamento.

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem