CartaExpressa

Justiça do Rio quebra sigilo telefônico de ex-assessores de Carlos Bolsonaro

investigadores terão acesso ao histórico de chamadas telefônicas, dados cadastrais, conexões de wi-fi, localização e antenas

A 1ª Vara Criminal Especializada do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro autorizou a quebra de sigilo telefônico de 11 ex-funcionários do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos). A informação é da jornalista Juliana Dal Piva, do UOL. A decisão, que é de 24 de maio, teve como base pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ).

De acordo com o juiz Marcello Rubioli, que anteriormente autorizou a quebra de sigilos bancário e fiscal do vereador, foram identificados “indícios rotundos de atividade criminosa em regime organizado” no gabinete de Carlos.

Com a decisão, os investigadores terão acesso ao histórico de chamadas telefônicas, dados cadastrais, conexões de wi-fi, localização e antenas usadas pelos assessores.

O vereador é investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro pela prática da “rachadinha” e pela suspeita de uso de funcionários fantasmas

As investigações indicam que assessores nomeados em seu gabinete nunca exerceram de fato essas funções.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!