CartaExpressa

Justiça decide que pomba e Jesus não são símbolos exclusivos da Igreja Universal

A IURD alega que a Igreja das Nações tenta confundir os fiéis a fim de obter ‘vantagens econômicas indevidas’

O bispo Edir Macedo, dono da Igreja Universal do Reino de Deus. Foto: Reprodução
O bispo Edir Macedo, dono da Igreja Universal do Reino de Deus. Foto: Reprodução

A Justiça de São Paulo rejeitou um pedido da Igreja Universal do Reino de Deus, de Edir Macedo, para proibir a Igreja das Nações do Reino de Deus de usar nome, marca e símbolos parecidos.

A IURD alega que a Igreja das Nações tenta confundir os fiéis a fim de obter “vantagens econômicas indevidas”. A ‘acusada’ se utiliza de uma pomba como símbolo e da expressão “Jesus Cristo” no logotipo. As informações são do UOL.

Para a igreja de Edir Macedo, a Igreja das Nações “utiliza os mesmos aspectos gráficos, fonéticos e ideológicos, sem nenhum símbolo ou imagem para a diferenciação, o que causa extrema confusão”.

De acordo com o juiz Luis Felipe Berrari, porém, os termos usados – “Igreja” e “Deus” são comuns às religiões. A Igreja das Nações sustentou que a pomba é um signo importante para a fé cristã, que “Reino de Deus” é um termo bíblico e que, portanto, a Universal não pode se apropriar de algo “tão importante aos cristãos”.

A IURD ainda pode recorrer da decisão.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!