CartaExpressa

IstoÉ/Sensus: Lula lidera disputa para 2022, teria 50,8% dos votos válidos e poderia vencer no 1º turno

O vice-líder da pesquisa é Jair Bolsonaro (PL), com 24,2%, seguido por Sergio Moro (Podemos), com 7,5%, e Ciro Gomes (PDT), com 5,3%

O ex-presidente Lula. Foto: Nelson Almeida/AFP
O ex-presidente Lula. Foto: Nelson Almeida/AFP

Pesquisa IstoÉ/Sensus divulgada nesta sexta-feira 3 mostra que Lula (PT) lidera com folga as intenções de voto para o pleito presidencial de 2022. O petista teria 42,6% dos votos totais e 50,8% dos votos válidos, o que lhe asseguraria a vitória em 1º turno.

O vice-líder da pesquisa é Jair Bolsonaro (PL), com 24,2%. Ele é seguido por Sergio Moro (Podemos), com 7,5%, e  Ciro Gomes (PDT), com 5,3%. Os outros postulantes a 3ª via têm desempenho modesto: João Doria (PSDB), com 1,8%; Simone Tebet (MDB), com 1,2%; Luiz Henrique Mandetta (DEM), com 1%; Rodrigo Pacheco (PSD), com 0,3%; Luiz Felipe D’Ávila (Novo), com 0,2%; e Alessandro Vieira (Cidadania), com 0,1%.

Pelas projeções de 2º turno, Lula venceria sem dificuldade os adversários considerados: Bolsonaro, por 55,1% a 31,6%; Doria, por 55,5% a 14,1%; e Moro, por 53,3% a 25%.

Bolsonaro também aparece atrás nos cenários de 2º turno contra Ciro (38,7% a 34,5%) e Moro (36,1% a 30,8%). Ante Doria, o ex-capitão está numericamente à frente (35,7% a 32%).

A pesquisa foi realizada entre os dias 24 e 28 de outubro, de forma presencial, com entrevistas de dois mil eleitores, em 136 municípios de 24 estados. A margem de erro é de 2,2%, para mais ou para menos.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!