CartaExpressa

Garimpeiros atropelam e matam indígena Yanomami no meio da floresta

‘O piloto, que tem o apelido de ‘Marreco’, fugiu no próprio avião que atropelou’, diz presidente do Conselho de Saúde Indígena Yanomami

Foto: Júnior Hekurari Yanomami/Condisi-YY/Divulgação
Foto: Júnior Hekurari Yanomami/Condisi-YY/Divulgação

O indígena Edgar Yanomami, de 25 anos, morreu na última quarta-feira 28 após ser atropelado por um avião de garimpeiros em uma pista na comunidade Homoxi, na Terra Indígena Yanomami, em Roraima.

A informação, divulgada nesta sexta-feira 30 pelo site G1, partiu do presidente do Conselho de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kuanna, Júnior Hekurari Yanomami, que levou o caso às autoridades.

“Ele [Edgar] estava encostado no mato. Morreu na hora, no local. O piloto, que tem o apelido de ‘Marreco’, fugiu no próprio avião que atropelou. Os próprios garimpeiros pegaram o corpo e levaram para uma outra comunidade isolada”, disse Hekurari.

O Condisi-YY afirma ter cobrado providências, entre outros, da Polícia Federal, da Fundação Nacional do Índio, do Ministério Público Federal e de secretarias subordinadas ao Ministério da Saúde.

No documento enviado às autoridades, o conselho declara que “o indisfarçado e desprezível homicídio ocorrido na Região do Homoxi ataca as mais sensíveis liberdades individuais do Povo Yanomami, numa franca estratégia deliberada e sistemática de silenciamento e intimidação desse povo que busca resistir à destruição do seu modo de vida pela invasão do seu território por garimpeiros ilegais.”

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!