CartaExpressa

Frente Nacional de Prefeitos critica governo por mudanças no Bolsa Família

Frente Nacional de Prefeitos critica governo por mudanças no Bolsa Família

Segundo matéria do UOL, Ministério da Cidadania quer reduzir papel de municípios para cortar custo de programas sociais

Cartão do benefício do Bolsa-Família. Foto: Governo do Piauí

Cartão do benefício do Bolsa-Família. Foto: Governo do Piauí

A Federação Nacional dos Prefeitos reagiu à notícia de que o governo federal pretende reduzir o papel dos municípios no cadastramento de novos beneficiários de programas sociais como o Bolsa Família.

De acordo com matéria do UOL, o objetivo da gestão do presidente Jair Bolsonaro é reduzir custos com as políticas de proteção social.

Em nota oficial divulgada nesta segunda-feira 25, a FNP classifica a medida do governo federal como inoportuna.

“Cabe destacar a evidente inoportunidade da medida no contexto atual do país. A prioridade de todos deveria ser enfrentar a pandemia da COVID-19 e vacinar, o mais rapidamente possível, a população”, diz o texto.

Na prática, o Ministério da Cidadania pretende priorizar o autocadastramento de beneficiários no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais) por meio de um aplicativo para celular, nos mesmos moldes do que foi feito com o auxílio emergencial.

Hoje, famílias são incluídas nos programas sociais por meio dos Cras (Centros de Referência de Assistência Social) e outros equipamentos públicos para essa finalidade.

O CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) é a “porta de entrada” dos programas sociais. Representa espaço de acolhimento e cuidado de precariedades que vão muito além do preenchimento burocrático de informações. Muitas vezes são nos CRAS que cenários de violência e problemas de saúde são percebidos e encaminhados”, acrescenta a nota da FNP.

Leia na íntegra.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem