CartaExpressa

Faltou coragem para enfrentar o Braga Netto, diz senador da CPI

‘Ele teve a função essencial em toda essa tragédia, e não foi convocado porque faltou a alguns colegas a decisão de fazê-lo’, afirmou Vieira

Reprodução TV Cultura
Reprodução TV Cultura
Apoie Siga-nos no

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) afirmou na noite de segunda-feira 18 que faltou coragem aos senadores da CPI da Covid por não convocarem o ministro da Defesa, general Braga Netto, para depor na comissão.

“Faltou talvez coragem para fazer o enfrentamento de uma pessoa que é o general Braga Netto. Ele teve a função essencial em toda essa tragédia, e não foi convocado porque faltou a alguns colegas a decisão de fazê-lo”, disse o membro da CPI no programa Roda Viva, da TV Cultura.

Para o senador, o relator Renan Calheiros (MDB-AL) não deveria ter expandido demais o foco das investigações.

“A tragédia brasileira teve um comando, teve estratégia estatal. Eles queriam que os brasileiros se contaminassem de forma rápida para ter uma retomada econômica imediata. Esse é o cerne da questão, e está muito bem provado”, declarou.

Já senador Fabiano Contarato (Rede-ES) destacou o crime de genocídio contra as populações indígenas. Na visão dele, há indícios que o crime foi cometido.

“Não foi uma decisão equivocada. Foi uma decisão criminosa. O conceito de dolo no Brasil é claro. Se o agente doloso quis o resultado, dolo aí é intenção, ou assumiu o risco de produzir o resultado. Então, ele agiu por omissão, e a relevância da omissão dele [Bolsonaro] é grave, e por dolo”, disse.

 

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.