CartaExpressa

EUA confessam ‘erro trágico’ em ataque com drone que matou 10 civis no Afeganistão

O chefe do Comando Central dos EUA, general Kenneth McKenzie, disse que a ofensiva mirava uma suposta operação do EI

O general Kenneth McKenzie. Foto: AFP
O general Kenneth McKenzie. Foto: AFP
Apoie Siga-nos no

Os Estados Unidos admitiram terem cometido um “erro” ao lançar um ataque com drone contra supostos militantes do grupo Estado Islâmico em 29 de agosto, em Cabul, no qual morreram dez civis.

O chefe do Comando Central dos Estados Unidos, general Kenneth McKenzie, disse que o ataque tinha como alvo uma suposta operação do EI contra o Aeroporto de Cabul, sobre a qual a Inteligência americana teria uma “certeza razoável”.

“O ataque foi um erro trágico”, declarou McKenzie a jornalistas depois de uma investigação.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.