CartaExpressa,Política

‘Estamos analisando a realidade desse troço’, diz Mourão sobre pior taxa de desmatamento em 15 anos

‘Estamos analisando a realidade desse troço’, diz Mourão sobre pior taxa de desmatamento em 15 anos

Foto: Bruno Batista/VPR

Foto: Bruno Batista/VPR

O vice-presidente Hamilton Mourão disse, nesta sexta-feira 19, que o governo de Jair Bolsonaro está “analisando” os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais que indicam o dramático crescimento do desmatamento na Amazônia.

O relatório anual do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite, o Prodes, foi publicado na quinta 18 e mostrou que a área desmatada entre agosto de 2020 e julho de 2021 é de 13.235 km² – crescimento de 22% na comparação com o ano anterior.

Mourão, que preside o Conselho da Amazônia, projetava uma redução de 5% no desmatamento. Agora, liga o aumento a uma revisão de indicadores.

“O dado que eu tinha eram os números do Deter (Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real). Os números do Deter, a nossa projeção era que eles ficassem 5% abaixo do ano anterior. O que aconteceu? O Inpe fez uma revisão do ano anterior, se vocês olharem, diminuiu, né… E esse aumentou”, disse Mourão na porta do Palácio do Planalto. “Então, não sei se ano que vem pode dar uma reduzida nesse também. Então nós estamos analisando isso aí ainda para ver qual é a realidade desse troço.”

O general tentou, ainda, relativizar os dados divulgados pelo Inpe.

“Sem desfazer dos números – obviamente, os números não são bons -, a gente tem que olhar o tamanho da Amazônia. Vamos dizer que a Amazônia Legal tem 5 milhões de km². Então, nós tivemos 13 mil km² de desmatamento, mas isso dá 0,23% da Amazônia que teria sido desmatado, independente do valor absoluto que está colocado”, completou.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem