CartaExpressa

Entrevista de Lula ao Podpah supera 3,4 milhões de views e 310 mil menções, diz FGV

Na entrevista, Lula afirmou processará Sergio Moro e integrantes da força-tarefa da Lava Jato

LULA E OS INFLUENCIADORES IGOR CAVALARI, O ‘IGÃO’, E THIAGO MARQUES, ‘O MÍTICO’. FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS
LULA E OS INFLUENCIADORES IGOR CAVALARI, O ‘IGÃO’, E THIAGO MARQUES, ‘O MÍTICO’. FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS

A entrevista que o ex-presidente Lula (PT) concedeu ao podcast Podpah na última quinta-feira 2 gerou mais de 310 menções no Twitter e 3,4 milhões de visualizações no YouTube, de acordo com monitoramento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas.

O pico, diz a Dapp/FGV, foi de 280 mil views simultâneos no YouTube. No Twitter, o ápice das menções ao petista chegou a 50 mil por hora. Os dados, coletados entre as 11h da quinta 2 e as 11h desta sexta 3, foram divulgados pelo jornal Folha de S.Paulo.

“Os números mostram que se o Lula conseguir construir uma articulação forte e um manejo inteligente das redes sociais, ele tem capacidade de interlocução e impacto muito grande”, disse ao jornal Marco Ruediger, diretor da Dapp/FGV. “E isso é muito interessante, porque até agora quem hegemonizou o espaço das redes tem sido sempre a direita no Brasil, principalmente de 2018 para cá.”

Na entrevista, Lula afirmou que “em algum momento” processará Sergio Moro (Podemos) e integrantes da força-tarefa da Lava Jato por ter sido preso “injustamente”.

“Eu ainda vou pensar bem, mas em algum momento eu vou processar. Nem que seja um tataraneto a ganhar um processo meu contra essa sacanagem que fizeram comigo”, declarou.

O ex-presidente também avaliou a vitória de Jair Bolsonaro em 2018 como uma “anomalia política” e reconheceu que o PT “errou muita coisa”, afirmando na sequência que o rapper Mano Brown acertou ao dizer, em 2018, que o “partido se afastou da base” em determinado momento.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!