CartaExpressa,Política

Eleição de 2022 é inegociável e o País não admite retrocessos, diz Pacheco

Eleição de 2022 é inegociável e o País não admite retrocessos, diz Pacheco

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Foto: Marcos Brandão/Agência Senado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Foto: Marcos Brandão/Agência Senado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), usou as redes sociais nesta quinta-feira 22 para afirmar que “a realização de eleições periódicas, inclusive em 2022, não está em discussão”.

“Isso é inegociável. Elas irão acontecer, pois são a expressão mais pura da soberania do povo. Sem elas não há democracia e o país não admite retrocessos”, escreveu o senador.

A declaração foi feita após o jornal O Estado de S.Paulo informar que o general Walter Braga Netto, ministro da Defesa, ameaçou a realização das eleições em 2022 caso não seja adotado o voto impresso ‘auditável’.

“Decisões sobre o sistema político-eleitoral, formas de financiamento de campanhas, voto eletrônico ou impresso, entre outros temas, cabem ao Congresso Nacional, a partir do debate próprio do processo legislativo e com respeito às divergências e à vontade da maioria”, disse ainda Rodrigo Pacheco.

 

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem