CartaExpressa

Eduardo Bolsonaro operou perfis que foram derrubados pelo Facebook

Eduardo Bolsonaro operou perfis que foram derrubados pelo Facebook

Informação consta em relatório da Polícia Federal sobre a organização dos atos antidemocráticos

Foto: Reprodução/Twitter Eduardo Bolsonaro

Foto: Reprodução/Twitter Eduardo Bolsonaro

Um relatório da Polícia Federal, sobre a organização dos atos antidemocráticos, aponta que perfis removidos do Facebook e do Instagram foram operados por assessores diretos do presidente Jair Bolsonaro, por seu filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e por deputados estaduais bolsonaristas. A informação é do Valor Econômico.

A PF se baseou em um documento elaborado pela Atlantic Council, empresa especializada em análises sobre comportamentos inautênticos nas redes sociais.

De acordo com a publicação, a PF apurou junto ao Facebook que “a rede consistia em vários grupos com atividade conectada que utilizavam uma combinação de contas duplicadas e contas falsas para evitar a aplicação das políticas (de uso), criar pessoas fictícias fingindo serem repórteres, publicar conteúdos e gerenciar páginas fingindo ser veículos de notícias”.

As contas eram operadas de Brasília, do Rio de Janeiro e de São Bernardo do Campo (SP), conforme o laboratório de pesquisa forense digital da organização.

Além de Eduardo, a PF diz que as contas identificadas no relatório da Atlantic Council foram criadas ou gerenciadas, por exemplo, pelo assessor especial de Bolsonaro Tércio Arnaud Tomaz, pelos deputados estaduais Alana Passos (PSL-RJ), Anderson Moraes (PSL-RJ) e Coronel Nishikawa (PSL-SP), e por seus assessores parlamentares.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem