CartaExpressa

Doria: se Lira tivesse compromisso com a democracia, colocaria em pauta o impeachment de Bolsonaro

Para o governador de SP, o ‘mínimo que se poderia esperar’ do deputado seria dar andamento a um dos pedidos

João Doria e Jair Bolsonaro. Fotos: NELSON ALMEIDA/AFP e André Borges/AFP
João Doria e Jair Bolsonaro. Fotos: NELSON ALMEIDA/AFP e André Borges/AFP

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), criticou o discurso proferido nesta quarta-feira 8 pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), em resposta às ameaças golpistas de Jair Bolsonaro. No pronunciamento, Lira afirmou que é hora de “dar um basta” às “bravatas e a um eterno palanque”, mas ignorou os mais de 100 pedidos de impeachment do presidente da República.

“Se esta de fato é a posição de Arthur Lira, ele que faça o encaminhamento de um dos pedidos de impeachment“, declarou Doria em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

O tucano disse lamentar que Lira “”não tenha compromisso com a democracia, porque se tivesse estaria colocando em pauta o impeachment“.

“Eu lamento, sinceramente, a postura, a atitude e o descompromisso do presidente da Câmara com a democracia brasileira. Depois dos arroubos, do afrontamento que tivemos ontem à Constituição, à democracia e à Suprema Corte, o mínimo que poderia se esperar de um presidente da Câmara era submeter aos seus parlamentares, já que a decisão não é dele, não é monocrática e, sim, da Câmara e do Senado, que pudesse submeter e dar andamento ao pedido de impeachment. Lamento muito a postura do presidente da Câmara neste momento”, completou Doria.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!