CartaExpressa

Polícia prende em São Paulo outro suspeito do assassinato de Dom e Bruno, diz jornal

Segundo informações de agentes à ‘Folha de S. Paulo’, suspeito admitiu participação no crime

Integrantes da força-tarefa nacional que buscam Bruno e Dom na Amazônia. O governo federal iniciou a ação com atraso de pelo menos dois dias.

Foto: Joao LAET / AFP
Integrantes da força-tarefa nacional que buscam Bruno e Dom na Amazônia. O governo federal iniciou a ação com atraso de pelo menos dois dias. Foto: Joao LAET / AFP
Apoie Siga-nos no

Outro suspeito de participação no assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips se entregou à polícia em São Paulo nesta quinta-feira 23. 

Segundo policiais ouvidos pela Folha de S. Paulo, Gabriel Pereira Dantas admitiu a participação no crime e teve sua prisão decretada. 

Bruno e Dom foram assassinados no último dia 5, quando se deslocavam de barco na região do Rio Javari, no Amazonas. 

Outras duas pessoas confessaram a participação no crime, Amarildo Oliveira, conhecido como Pelado e Jefferson da Silva Lima, o Pelado da Dinha. 

Um outro suspeito detido pela polícia do Amazonas, Oseney Oliveira, conhecido como Dos Santos, nega que tenha cometido o assassinato. No entanto, segundo relatos coletados na investigação, uma testemunha aponta que Dos Santos estava na cena do crime. 

Além dos suspeitos que confessaram a participação no homicídio, outras quatro pessoas, que teriam auxiliado na ocultação dos corpos, já foram identificadas. 

A localização dos corpos do indigenista e do jornalista britânico foi fornecida por Pelado durante a sua confissão. Ele foi levado a área de buscas, no dia 15, e apontou onde restos mortais de ambos foram deixados. 

A morte de Bruno e Dom está relacionada com um grupo de pescadores ilegais da região, segundo apuração policial. 

O indigenista, enquanto atava como funcionário da Funai, era responsável pelo serviço de vigilância indígena e atuou na apreensão de diversos barcos com animais para comércio, que serviriam para lavagem de dinheiro do tráfico. 

O assassinato de Dom e Bruno colocou pressão interna e externa sobre o governo Bolsonaro, devido à ingerência na região Amazônica e da falta de controle de atividades ilícitas na região. 

Conforme nota da Polícia Federal, os corpos de Dom e Bruno devem ser liberados para as famílias ainda nesta quinta-feira. 

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.