CartaExpressa,Política

Desaprovação ao governo segue alta, mesmo com volta do auxílio

Desaprovação ao governo segue alta, mesmo com volta do auxílio

Pesquisa do PoderData mostra que presidente é rejeitado por 57% da população

O presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Marcos Corrêa/PR

O nível de desaprovação do governo de Jair Bolsonaro continua em alta, mesmo após o inicio do pagamento da segunda rodada do auxílio emergencial.

 

 

Segundo pesquisa PoderData, divulgada na noite de quarta-feira 28, a gestão federal é reprovada por 57% dos brasileiros e aprovada por 35%, níveis semelhantes aos dos levantamentos anteriores.

O levantamento indica que o governo interrompeu a deterioração de sua avaliação, iniciada em meados de março, quando a pandemia de coronavírus atingiu um novo pico de mortes.

 

Maioria dos beneficiários do auxílio desaprova governo

Outro ponto da pesquisa mostra que o presidente é desaprovado pela maioria das pessoas que recebem o auxílio emergencial. De acordo com o levantamento, 58% desaprovam o trabalho do ex-capitão. Outros 30%  aprovam a gestão federal, e 12% não souberam responder a pergunta.

O PoderData mostrou que, no início de abril, 82% da população achava “muito baixo” o valor do novo benefício (em média, 250 reais).

A pesquisa foi realizada no período de 26 a 28 de abril de 2021. Foram feitas 2.500 entrevistas em 482 municípios nas 27 unidades da Federação.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem