CartaExpressa,Política

DEM e PSL oficializam fusão das legendas e prometem unir o País

DEM e PSL oficializam fusão das legendas e prometem unir o País

A legenda ainda precisa ser aprovada pelos ministros do Tribunal Superior Eleitoral

Créditos: Liderança dos Democratas da Câmara dos Deputados

Créditos: Liderança dos Democratas da Câmara dos Deputados

Em convenção realizada nesta quarta-feira 6, em Brasília, o DEM aprovou a fusão da legenda com o PSL e definiu o novo nome do partido: União Brasil. O novo partido ainda precisa ser aprovado pelos ministros do Tribunal Superior Eleitoral.

Em suas redes sociais, o presidente nacional do DEM, ACM Neto, comemorou a fusão e falou sobre um dia histórico. “O surgimento do maior partido do país, União Brasil, um partido que vem pra ajudar a construir o futuro do Brasil, que vem para pregar a unidade, a conciliação, o entendimento, o diálogo, que vem para representar milhares de brasileiros que sonham com a política melhor”.

Atualmente, o DEM conta com 28 deputados e seis senadores, incluindo o presidente do senado, Rodrigo Pacheco. Já o PSL conta com 54 deputados e uma senadora. A junção conforme os quadros atuais levaria a nova sigla a compor 82 deputados. A segunda maior bancada é do PT com 53 deputados.

No Senado, o União Brasil contaria com sete parlamentares, empatado com o PSDB e PP, e atrás de MDB (maior bancada, com 15 senadores), PSD, Podemos.

No entanto, são esperadas baixas em ambas as legendas pela desaprovação à fusão, caso do ministro Onyx Lorenzoni, filiado ao DEM e que votou contra a fusão das legendas.

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem