CartaExpressa

Datafolha: com auxílio cortado, 3 em cada 4 beneficiários comprou menos comida

Datafolha: com auxílio cortado, 3 em cada 4 beneficiários comprou menos comida

Medida Provisória instituiu o pagamento do auxílio até 31 de dezembro deste ano. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Medida Provisória instituiu o pagamento do auxílio até 31 de dezembro deste ano. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Sem previsão de prorrogação, o auxílio emergencial ainda é a principal fonte de renda para muitos brasileiros. Cerca de 36% dos beneficiários se encaixam nesta situação, segundo a pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira 21.

A redução do auxílio de 600 reais para 300 reais, em setembro, teve como consequência a diminuição de gastos com itens básicos de consumo. De acordo com pesquisa, 75% dos beneficiários reduziram a compra de alimentos, 65% cortaram despesas com remédios, 57% diminuíram o consumo de água, luz e gás e 55% deixaram de pagar as contas da casa.

Neste mesmo contexto de busca por novas fontes de renda, se observa o aumento nos recordes de desemprego no país. São 13,8 milhões de pessoas desempregadas, segundo a última pesquisa PNAD-COVID19, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Estagiária de CartaCapital

Compartilhar postagem