CartaExpressa

Damares associa gravidez de crianças e adolescentes ao uso do TikTok

“Não vêm papai e mamãe jogar no colo do Ministério da Saúde: ‘resolva, minha filha engravidou’”, declarou a ministra bolsonarista

A ex-ministra Damares Alves. FOTO: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Apoie Siga-nos no

A ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, Damares Alves, associou a gravidez de crianças e adolescentes ao uso do Tik Tok e alegou que pais e mães não podem jogar a responsabilidade sobre o governo depois de permitirem o acesso à plataforma.

“Não vêm papai e mamãe jogar no colo do Ministério da Saúde: ‘resolva, minha filha engravidou’, depois que deixou sua filha ir pro TikTok vender seu corpo. Uma coisa está muito atrelada com a outra”, disse.

A declaração da ministra ocorreu na abertura da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, em Brasília. Durante a cerimônia, a pasta lançou o Plano Nacional de Prevenção Primária do Risco Sexual Precoce e Gravidez de Adolescentes.

Em outro momento, a ministra disse que ‘adultos podem fazer o que quiser dentro do quarto’, mas que seu ministério proíbe ‘sexo de crianças’.

“Disseram que a fanática ia proibir as crianças, adolescentes e adultos de fazer sexo. Crianças a gente vai proibir, sim. Adolescente a gente vai conversar muito com eles. Adulto faz o que quiser dentro do seu quarto.”

Ainda assim, a ministra se disse contra o aborto: “Se acontecer uma gravidez, vida é vida”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar