CartaExpressa,Política

CPI derruba o sigilo do celular de Dominguetti, que denunciou pedido de propina em vacinas

CPI derruba o sigilo do celular de Dominguetti, que denunciou pedido de propina em vacinas

(Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

(Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), retirou nesta terça-feira 6 o sigilo de mensagens e de outros conteúdos do celular do policial militar Luiz Paulo Dominguetti, que confirmou à comissão ter recebido um pedido de propina em uma negociação de vacinas com o Ministério da Saúde.

A decisão de Aziz foi tomada após a apresentação de uma questão de ordem do senador Rogério Carvalho (PT-SE), titular da CPI. O celular de Dominguetti foi retido pela comissão na quinta-feira 1, durante o depoimento prestado pelo PM.

Os senadores optaram por apreender o aparelho e encaminhá-lo para perícia após Dominguetti reproduzir um áudio em que o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) negociaria a compra de vacinas com a Davati, empresa supostamente representada por Dominguetti. Miranda, no entanto, diz que o áudio é antigo – de outubro de 2020 – e se refere a uma compra de luvas.

Luiz Paulo Dominguetti foi convocado pela CPI a depor após afirmar, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, que recebeu pedido de propina de 1 dólar por dose de vacina, em negociação com o Ministério da Saúde. Segundo ele, o então o diretor de Logística da pasta, Roberto Ferreira Dias, cobrou a propina em um encontro em um shopping de Brasília em 25 de fevereiro.

 

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem