CartaExpressa

‘Consigo representar toda a força da mulher’, diz Rebeca Andrade após ouro no salto

A atleta de Guarulhos é a 1ª brasileira a ganhar duas medalhas em uma única edição dos Jogos

Foto: Loic VENANCE/AFP
Foto: Loic VENANCE/AFP

Rebeca Andrade, de 22 anos, voltou a fazer história nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Após conquistar a prata no individual geral e se tornar a primeira brasileira medalhista na ginástica artística, a atleta de Guarulhos (SP) levou o ouro no salto, neste domingo 1.

Com uma pontuação de 15.083, ela superou a americana Mykayla Skinner (prata) e a sul-coreana Yeo Seojeong (bronze).

Trata-se da primeira vez que uma brasileira conquista duas medalhas em uma mesma edição das Olimpíadas.

“Eu não sabia disso, não. Mas eu me sinto muito orgulhosa de mim porque acho que consigo representar toda a força da mulher e é muito gratificante. As pessoas sabem como é difícil estar aqui. Como é difícil trazer duas medalhas. É muito esforço, muito trabalho. Fico muito feliz por representá-las”, disse Rebeca após a conquista.

Ela é a quarta brasileira a conquistar uma medalha de ouro em competições olímpicas individuais, após Maurren Maggi, Rafaela Silva e Sarah Menezes. Para chegar lá, superou graves lesões no joelho e cirurgias. A última operação, em 2019, obrigou-a a ficar oito meses parada.

A participação da ginasta nos Jogos não terminou. Ela disputará a final do solo com o Baile de Favela nesta segunda-feira 2, às 5h57, pelo horário de Brasília.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!