CartaExpressa

Conselho da UFRGS aprova a cassação dos títulos de honoris causa de Médici e Costa e Silva

Houve 48 votos favoráveis e uma abstenção na análise realizada nesta sexta-feira 19

Créditos: Divulgação
Apoie Siga-nos no

O Conselho Universitário da Universidade Federal do Rio Grande do Sul revogou, nesta sexta-feira 19, os títulos honoris causa concedidos aos generais Artur da Costa e Silva e Emílio Garrastazu Médici, que presidiram o País durante a ditadura militar. A medida foi aprovada com 48 votos a favor e uma abstenção.

Costa e Silva governou o Brasil de 15 de março de 1967 a 31 de agosto de 1969 e recebeu o título em 1967;  Médici, presidente entre 30 de outubro de 1969 e 15 de março de 1974, foi agraciado com o honoris causa em 1970.

O projeto Vozes da Ditadura, ligado à universidade, parabenizou os historiadores envolvidos na decisão. “Os títulos de Professor/a e Doutor/a Honoris Causa devem ser concedidos a cidadãs/ãos inspiradoras/es e entusiastas do livre pensar que respeitem os direitos humanos.”

Para o grupo, “essa decisão significa que neste 2022 não há lugar para homenagens a regimes de força e seus protagonistas”.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar