CartaExpressa

Conselheiro de Biden alertou Bolsonaro: ‘Não interfira nas eleições’

Mensagem teria sido ‘transmitida’ pelo Conselheiro de Segurança Jake Sullivan, enviado de Biden ao Brasil

Jair Bolsonaro e Jake Sullivan, conselheiro de Segurança dos Estados Unidos.

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Jair Bolsonaro e Jake Sullivan, conselheiro de Segurança dos Estados Unidos. Foto: Reprodução/Redes Sociais

O conselheiro de segurança dos Estados Unidos, Jake Sullivan, enviado do presidente Joe Biden ao Brasil, deixou um recado a Jair Bolsonaro para que ele não interfira ou prejudique as eleições de 2022. A mensagem foi ‘transmitida’ diretamente durante um encontro com o presidente na última quinta-feira 5. Sullivan também esteve com militares membros do alto escalão do governo federal. A informação é do portal de notícias norte-americano The Hill neste domingo 8.

De acordo com a reportagem, Sullivan demonstrou preocupação com as declarações infundadas de Bolsonaro acerca das urnas eletrônicas e, principalmente, o alertou para que não coloque em prática as ameaças que tem feito ao pleito do ano que vem.

A informação sobre o recado, segundo o The Hill, foi revelada à Reuters por uma fonte que esteve presente na reunião.

Sullivan esteve ainda com o ministro da Defesa, general Walter Braga Neto, apontado recentemente como o autor da ameaça de golpe ao Congresso caso o voto impresso não fosse aprovado. Além de Braga Netto, o conselheiro dos EUA se reuniu com o general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência.

Outros ministros também estiveram com o conselheiro, como Fábio Farias, das Comunicações, para tratar do 5G no País. Além do vice-presidente Hamilton Mourão. Todos os encontros foram registrados nas redes sociais da Embaixada dos EUA no Brasil.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!