CartaExpressa

Coalizão Negra por Direitos mobiliza atos contra o racismo nesta quinta 13

Coalizão Negra por Direitos mobiliza atos contra o racismo nesta quinta 13

Foto: MAURO PIMENTEL / AFP

Foto: MAURO PIMENTEL / AFP

A Coalização Negra por Direitos, que representa o conjunto de organizações, entidades, grupos e coletivos do movimento negro, confirma 28 atos contra o racismo pelo País na quinta-feira, 13. As mobilizações acontecem após a operação policial na Favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro, no último dia 6, que deixou 29 mortos, e se consagrou como a mais letal da história do estado.

Sob o mote “Nem bala, nem fome, nem Covid. O povo negro quer viver!”, os atos acontecerão propositalmente no 13 de maio, em alusão ao marco do fim da escravidão no Brasil e à necessidade de debater o assunto sob a ótica da população negra.

As manifestações querem provocar reflexões sobre o fim do racismo, do genocídio negro, das chacinas e sobre a necessidade de construção de mecanismos de controle social acerca das operações policiais. Também estarão entre as pautas de reivindicação a manutenção do auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia, o direito da população negra à vacina e o fim do governo Bolsonaro.

“Nós, negras e negros brasileiros em Coalizão Negra por Direitos, denunciamos ao mundo que vivemos em um país no qual amanhã poderemos estar mortos, pelo fato de sermos negros. Seja pelo coronavírus, seja pela fome, seja pela bala, o projeto político e histórico de genocídio negro avança no Brasil de uma forma sem limites e sem possibilidade concreta de sobrevivência do povo negro. No ápice da pandemia no país, onde poucas ou nenhuma medida de proteção é implementada pelos governantes, vivemos neste 6 de maio de 2021 um dos mais tristes capítulos de nossa trágica trajetória de violência urbana”, traz trecho de um manifesto publicado pela Coalizão no dia 7 de maio.

“É por isso que o movimento negro convoca todos os setores da sociedade que não aceitam essa barbárie, a violação de direitos humanos e um governo miliciano que leva as últimas consequências a natureza genocida do estado brasileiro. O mundo está olhando para o Brasil e esperando de toda sua população – negra ou não – uma reação. E é essa mensagem que o ’13 de maio de Lutas’ pretende passar”, afirma a Coalizão.

 

Confira a programação dos atos (sujeita a alterações) no Brasil e no exterior

Acre
Rio Branco – Esquina da Alegria – 7h

Alagoas
Maceió – Praça Marechal Deodoro – 15h

Amapá
Macapá – Fortaleza de São José de Macapá – 16h

Amazonas
Manaus – Praça da Polícia, Centro – 16h

Bahia
Salvador – Praça da Piedade – 11h

Ceará
Fortaleza – Estátua de Iracema – 10h

Distrito Federal
Praça dos Três Poderes – Em frente ao STF – 17h

Espírito Santo
Vitória – Praça Costa Pereira – 17h

Goiás
Goiânia – Em frente à Secretaria da Segurança Pública de Goiânia – 17h

Maranhão
São Luís – Praça Dom Pedro II – Em frente ao Tribunal de Justiça – 17h

Mato Grosso
Cuiabá – Praça da Mandioca – 18h

Minas Gerais
Belo Horizonte – Praça Afonso Arinos – 17h

Pará
Belém – Praça da República – 18h

Paraíba
João Pessoa – Lagoa – 15h

Pernambuco
Recife – Praça do Derby – 17h

Piauí
Teresina – Praça da Liberdade – 15h

Rio de Janeiro
Macaé – Praça Veríssimo de Melo – 15h
Niterói – Av. Ernani do Amaral Peixoto, 577 – em frente ao Fórum de Justiça e 76º
Delegacia de Polícia – 15h
Rio de Janeiro – Candelária – 17h
Petrópolis – Praça Dom Pedro – 17h

Rio Grande do Norte
Natal – Shopping Midway Mall – 16h

Rio Grande do Sul
Porto Alegre – Esquina Democrática – 17h

São Paulo
Bauru – Praça Dom Pedro II – em Frente à Câmara Municipal – 17h
Ilhabela – Praça do Pimenta de Cheiro – 17h
Santos – Praça José Bonifácio – 12h
São Paulo – Av. Paulista – Vão livre do Masp – 17h

Sergipe
Aracaju – Rua Abolição – 17h

EUA
Union Square, New York – concentração: 11h30 am
Austin/Texas – Capitol – Concentração: 7h30 pm

Inglaterra (Londres)
Brazilian Embassy – Concentração: 15th May at 12h am

 

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem