CartaExpressa

Ciro volta a indicar que não apoiaria Lula em 2º turno contra Bolsonaro

‘Não concordo com nada que Lula representa. Não concordo com nada que Bolsonaro representa’, afirmou o pedetista

O ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT). Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, voltou nesta segunda-feira 12 a indicar que não apoiaria Lula (PT) em um eventual segundo turno contra Jair Bolsonaro (PL).

Em sabatina do Centro de Integração Empresa Escola, em São Paulo, o pedetista classificou Bolsonaro como “um deputado cretino, de baixo clero, que roubava dinheiro até da gasolina de seu gabinete e tinha funcionários fantasmas”. Segundo Ciro, a eleição de Bolsonaro é produto do “encontro terrível da mais grave crise econômica da história brasileira, que Lula produziu, junto com o escândalo generalizado em que Lula transformou a corrupção no centro do seu modelo de poder”.

Na sequência, o ex-ministro sinalizou neutralidade em um segundo turno entre o petista e o ex-capitão.

“Não concordo com nada que Lula representa. Não concordo com nada que Bolsonaro representa. Sou obrigado, numa democracia, a votar em um dos dois corruptos? Não voto”, emendou Ciro. As declarações foram registradas pelo jornal O Estado de S.Paulo.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.