CartaExpressa

Caso Tatiane Spitzner: ex-marido é condenado a 31 anos de prisão

Caso Tatiane Spitzner: ex-marido é condenado a 31 anos de prisão

Créditos: Divulgação

Créditos: Divulgação

O biólogo Luis Felipe Manvailer foi condenado, na segunda-feira 10, a 31 anos, 9 meses e 18 dias de prisão por homicídio qualificado pela morte da esposa e advogada Tatiane Spitzner, em julho de 2018.

Luis Felipe foi submetido ao julgamento de um júri popular composto por sete jurados, além de um juiz, um assistente do juiz, sete advogados de defesa, um réu, um promotor, um assistente de promotor, quatro assistentes de acusação e apenas uma mulher, assistente do promotor. O interrogatório do biólogo, feito pelo juiz, durou mais de 11 horas. O julgamento começou na manhã da terça-feira 4 e se encerrou às 20h da segunda-feira.

Tatiane foi encontrada morta após uma queda da sacada do apartamento onde morava com Manvailer. Um laudo atestou asfixia mecânica como causa da morte de Tatiane.

 

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem