CartaExpressa

Caso Marielle: MP-RJ faz acordo com Facebook para obter dados em investigação

Empresa americana se recusava a compartilhar informações

A ex-vereadora Marielle Franco. Foto: Instituto Marielle Franco A ex-vereadora Marielle Franco. Foto: Instituto Marielle Franco
A ex-vereadora Marielle Franco. Foto: Instituto Marielle Franco A ex-vereadora Marielle Franco. Foto: Instituto Marielle Franco

O Ministério Público do Rio de Janeiro firmou um acordo com o Facebook para a obtenção de dados que colaborem com o caso Marielle Franco e Anderson Gomes, nas buscas pelos mandantes do assassinato. A informação foi divulgada na sexta-feira 12, pela emissora CNN Brasil.

Será a primeira vez que a empresa americana cederá informações nessa investigação. A companhia, até então, se recusava a fornecer dados judicialmente. O MP-RJ, no entanto, reforou que já havia decisão anterior que determinava o compartilhamento de dados pela rede de Mark Zuckerberg.

Diferentemente da empresa Google, o Facebook não acionou instâncias superiores para reverter a decisão. A companhia, porém, pediu redução no período que terá o sigilo quebrado. O MP queria investigar dados entre 1º de janeiro de 2017 até 15 de março de 2019, mas disse ser possível diminuir o lapso temporal para o período de 1º de janeiro de 2018 a 14 de abril de 2018.

CartaCapital

CartaCapital

Tags: , ,

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!