CartaExpressa

Carlos Bolsonaro se envolve em compra de aparelho espião para governo

Carlos Bolsonaro se envolve em compra de aparelho espião para governo

O Pegasus já foi usado para espionar celulares e computadores de jornalistas e críticos de governos ao redor do mundo

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) é alvo de investigação do Ministério Público. Foto: Reprodução/Rio TV Câmara

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) é alvo de investigação do Ministério Público. Foto: Reprodução/Rio TV Câmara

Uma licitação para a aquisição de uma ferramenta de espionagem criou uma disputa entre o alto comando militar e o vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos), filho 02 do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo apurou o UOL, diferente de editais semelhantes ocorridos em outras ocasiões, desta vez órgãos oficiais de investigação que seriam beneficiados diretamente pela ferramenta, como o GSI (Gabinete de Segurança Institucional) e a Abin (Agência Brasileira de Informações), não estão envolvidos nas tratativas.

O Pegasus já foi usado para espionar celulares e computadores de jornalistas e críticos de governos ao redor do mundo. Em junho de 2017, por exemplo, o jornal The New York Times revelou que o software foi usado pelo governo do México, ainda sob a gestão de Enrique Peña Nieto, para espionar ativistas contrários à sua gestão.

O objetivo final de Carlos Bolsonaro, diz a reportagem, é usar as estruturas do Ministério da Justiça e da PF (Polícia Federal) para expandir uma “Abin paralela”, na qual tenha grande influência.

Se adquirido, o Pegasus permitirá o monitoramento de pessoas e empresas sem decisão judicial. Ou seja: o uso da ferramenta dependerá apenas do senso ético de quem controlará o sistema.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem