CartaExpressa

Brumadinho: STJ anula recebimento de denúncia e diz que caso é da Justiça Federal

Brumadinho: STJ anula recebimento de denúncia e diz que caso é da Justiça Federal

Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

O Superior Tribunal de Justiça decidiu, nesta terça-feira 19, encaminhar à Justiça Federal, especificamente à 9ª Vara Federal de Minas Gerais, o caso que envolve o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, em 25 de janeiro de 2019.

Ao tomar a decisão, o STJ anulou o recebimento, pela Justiça estadual de Minas, de uma denúncia encaminhada pelo Ministério Público mineiro. O órgão entende que a peça não descreve crime federal e, por isso, deveria ser analisada pela justiça estadual.

A 6ª Turma do STJ, porém, acatou o pedido da defesa do ex-presidente da Vale Fábio Schvartsman, um dos denunciados. Os advogados também argumentam que o caso envolveu documentos falsos que fizeram com que a Agência Nacional de Mineração concluísse que os padrões de segurança para barragens de rejeitos eram plenamente observados pela Vale em Brumadinho.

A decisão foi tomada por unanimidade entre os ministros da Turma, que seguiram o voto do relator,  o desembargador convocado Olindo Menezes. Ele avaliou que há elementos para firmar a competência da Justiça Federal.

O Ministério Público de Minas informou pelas redes sociais que recorrerá da decisão. “Embora tenhamos demonstrado que não há imputação de crimes federais pelo MPF, o STJ entendeu não ser competente a Justiça de Minas para julgar os crimes de homicídio praticados”.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem