CartaExpressa,Política

Boulos diz que pode disputar 2022, mas prioridade é unir a esquerda

Boulos diz que pode disputar 2022, mas prioridade é unir a esquerda

Líder do MTST não descarta buscar o governo de SP: 'A gente faz aquilo que é necessário'

Guilherme Boulos. Foto: Reprodução/YouTube

Guilherme Boulos. Foto: Reprodução/YouTube

O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Guilherme Boulos (PSOL), afirmou nesta terça-feira 9 que existe a possibilidade de que ele seja candidato à Presidência da República no ano que vem, mas ressaltou que o principal objetivo neste momento é a construção de unidade na esquerda.

“É possível que eu seja, evidente, não vou ser hipócrita”, disse Boulos em entrevista à Rádio Bandeirantes. Segundo ele, no entanto, a esquerda tem de compreender o “momento muito grave da vida nacional”.

“O papel da oposição, da esquerda, é sentar numa mesa, identificar unidades e convergências de projeto e tentar atuar conjuntamente. O debate de nomes tem que ser feito, mas é o ponto de chegada, não de partida”, declarou. “O Ciro tem que estar na mesa, o Haddad tem que estar na mesa, outras lideranças políticas do campo de esquerda têm que estar nessa mesa para buscar convergência. Eu vou trabalhar para isso.”

Questionado sobre sua preferência entre concorrer à Presidência ou ao governo de São Paulo, Boulos afirmou que a disputa nacional o atrai porque o governo federal “tem muito mais margem de manobra para virar o jogo do que um governo de estado”, mas que “não descartaria fazer essa disputa” em São Paulo. “A política não depende apenas dos nossos desejos ou das minhas opções. A gente faz aquilo que é necessário no momento”.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem