CartaExpressa,Política

Bolsonaro usa drama de venezuelanos para fazer campanha: ‘Querem isso para o Brasil?’

Bolsonaro usa drama de venezuelanos para fazer campanha: ‘Querem isso para o Brasil?’

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Em ato com forte conotação eleitoral, o presidente Jair Bolsonaro visitou nesta terça-feira 26 um abrigo da Operação Acolhida, em Boa Vista (RR). A força-tarefa é responsável pela recepção de migrantes venezuelanos no Brasil.

Sem máscara, o ex-capitão discursou para venezuelanos, acompanhado, entre outros, do ministro da Cidadania, João Roma, e do ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres. De olho no pleito de 2022, em que buscará a reeleição, Bolsonaro tentou estabelecer paralelos entre a Venezuela e o Brasil, além de atacar o ex-presidente Lula, que lidera as pesquisas de intenção de voto.

“A gente não quer isso para o nosso País. Temos que ver que o bem maior nosso é a liberdade. As escolhas erradas levam a isso. O presidente brasileiro do passado ia na Venezuela fazer campanha para o Chávez e o Maduro. Sempre enganando o povo, dizendo que vai dar o melhor e o outro é o malvadão. Induzindo as pessoas a ir para a esquerda, se associar ao socialismo, com aquele discurso maravilhoso que, na prática, é diferente”, afirmou Bolsonaro. “Não queremos isso para os nossos filhos. Não estou fazendo campanha, mas mostrando a realidade.”

Aos migrantes, o presidente disse que o cenário ideal seria a volta da Venezuela “à normalidade”, mas que isso seria “um milagre”.

“E a gente tem que procurar aprender com o erro dos outros. A gente não quer que nossos filhos fujam do nosso País”, prosseguiu. “Olha a situação a que a Venezuela chegou por botar lá um demagogo, aquele que prometia maravilhas para o povo. Isso não queremos para o nosso País.”

No final de seu discurso eleitoral, dirigiu-se aos brasileiros: “Você quer isso para o Brasil? O que você tem que fazer para o Brasil não chegar à situação da Venezuela?”.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem