CartaExpressa

Bolsonaro precisa fazer a parte dele, diz líder dos caminhoneiros sobre preço do diesel

Wallace Landim, conhecido como Chorão, comentou o congelamento do ICMS do combustível por 90 dias; greve segue marcada

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O presidente da Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores, Wallace Landim, conhecido como Chorão, afirmou nesta sexta-feira 29 que, após os estados congelarem o ICMS do combustível por 90 dias, chegou a hora do presidente Jair Bolsonaro agir.

O anúncio foi feito em nota do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), formado pelos secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal.

De acordo com comunicado, “o objetivo é colaborar com a manutenção dos preços nos valores vigentes em 1º de novembro de 2021 até 31 de janeiro de 2022.”

“Estava sendo feito um estudo e colocaram 90 dias de congelamento. Isso não tem relação com o governo federal. O presidente não queria que os governadores fizessem a parte deles? Fizeram. Agora, ele vai ter que fazer a parte dele que é do governo federal”, afirmou Chorão a CartaCapital.

A greve dos caminhoneiros, marcada para o dia 1 de novembro, até o momento está mantida.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!