CartaExpressa,Política

Bolsonaro perde para Lula, Ciro e Haddad no segundo turno, diz pesquisa

Bolsonaro perde para Lula, Ciro e Haddad no segundo turno, diz pesquisa

O ex-ministro Mandetta também derrotaria o atual presidente; Moro atingiu recorde de rejeição, segundo Atlas Político

O presidente Jair Bolsonaro. Foto: Evaristo Sá/AFP

O presidente Jair Bolsonaro. Foto: Evaristo Sá/AFP

Se as eleições presidenciais fossem hoje, o presidente Jair Bolsonaro perderia no segundo turno para o ex-presidente Lula e para os ex-ministros Ciro Gomes e Luiz Henrique Mandetta. É o que mostra a pesquisa da consultoria Atlas, divulgada pelo El País nesta quinta-feira 11.

 

 

Bolsonaro seria derrotado também por Fernando Haddad (PT), caso fosse ele o escolhido pelo partido.

Em uma simulação de primeiro turno, a pesquisa mostra Bolsonaro com 32,7% das intenções de voto, contra 27,4% de Lula. Ambos tiveram os melhores resultados.

Na sequência, aparecem o ex-ministro Sergio Moro (9,7%), Ciro Gomes (7,5%), Luiz Henrique Mandetta (4,3%), o governador  João Doria (4,3%) e o apresentador Luciano Huck (2,5%).

Já no segundo turno, o cenário muda para o presidente. Lula aparece com 44,9% contra 36,9% de Bolsonaro, 16,3 pontos de diferença. Na simulação de segundo turno com Ciro, o pedetista também bate Bolsonaro (44,7% contra 37,5%).

O ex-ministro da Saúde do atual governo também venceria Bolsonaro no segundo turno. Mesmo que no primeiro turno não tenha um numero significativo, Mandetta bateria o antigo chefe por 46,6% contra 36,9%.

 

 

Rejeição de Bolsonaro e Moro aumenta 

Na pesquisa, 60% dos entrevistados desaprovam o atual ocupante do Planalto, contra 34,8% que o apoiam. Trata-se de uma queda de três pontos percentuais em relação à pesquisa anterior, em 21 de janeiro.

Mandetta é o político com a imagem mais positiva entre os líderes medidos pela pesquisa (40%), seguido por Bolsonaro, que tem 36% de imagem positiva, contra 60% de negativa.

Lula aparece com os mesmos 36% de índice positivo do presidente, alta de três pontos em relação a janeiro,

Moro atingiu o seu recorde de rejeição. O ex-juiz da Lava Jato aparece com 63%, a maior desde que o Atlas começou a medir.

Já o governador tucano João Doria estabilizou sua imagem positiva (25%), mas ainda tem uma rejeição muito alta (60%).

A pesquisa Atlas foi realizada com 3.721 entrevistas feitas por questionários aleatórios via internet. As respostas são calibradas por um algoritmo de acordo com as características da população brasileira.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem