CartaExpressa,Política

Bolsonaro pensa e deseja o golpe, afirma Gilberto Kassab

Bolsonaro pensa e deseja o golpe, afirma Gilberto Kassab

Apesar das indicações de ruptura democrática, dirigente partidário disse não ver motivos para que presidente sofra impeachment

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente do PSD, Gilberto Kassab, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro ‘pensa e deseja’ o golpe. Em entrevista à revista Veja, publicada nesta sexta-feira 27, o dirigente partidário disse, no entanto, que não há motivos para o impeachment.

“Tenho uma forte percepção de que ele pensa no assunto, sim, e dá sinais de que deseja o golpe. Ele verbaliza isso. É muito preocupante. Um presidente da República, quando sinaliza um golpe, pode estar brincando ou falando sério. Se estiver brincando com isso, é um irresponsável. Se estiver falando sério, pior ainda”, disse.

Segundo o líder da legenda, que almeja lançar Rodrigo Pacheco, hoje no DEM, como um candidato próprio de terceira via para eleições de 2022, ninguém aguentaria mais essas ameaças do presidente.

“Imagino que talvez daqui a alguns meses as pessoas vão parar de dar importância a Bolsonaro”, destacou. “Tenho muitas críticas ao governo, mas sempre descartei o impeachment. Não vejo até agora nenhum motivo para isso na conduta do presidente”, acrescentou mais adiante, destacando que se as ameaças deixarem de ser apenas discurso, aí sim tomaria posição favorável ao impedimento.

“O partido nunca fechou questão, mas, quando Bolsonaro ultrapassar essa linha, dentro do partido vou defender o afastamento”, destacou o líder da sigla que hoje busca ocupar lugar de destaque na centro-direita brasileira, papel ocupado pelo MDB até então.

Ainda na entrevista, Kassab reforçou que a candidatura do senador Rodrigo Pacheco é o principal plano do partido, descartando a possibilidade de não lançar um candidato próprio. O presidente da sigla também reforçou o desejo de contar com Geraldo Alckmin para concorrer ao governo de São Paulo em 2022 e teceu elogios a uma possível candidatura de Sérgio Moro.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem