CartaExpressa

Bolsonaro elogia Mendonça por ‘tomar Tubaína’ com ele e projeta ter ‘40% no STF’ em 2023

Ele insistiu no discurso de ‘não ser fácil’ ser presidente, mas se confortar ‘ao saber que não tem um comunista sentado na cadeira’

Foto: Reprodução/TV Brasil
Foto: Reprodução/TV Brasil

O presidente Jair Bolsonaro voltou a exaltar sua proximidade com André Mendonça, que assumirá nesta quinta-feira 16 uma cadeira no Supremo Tribunal Federal. Ele reforçou que não basta ter um bom currículo para ser indicado à Corte.

“Tudo o que vi ao longo de três anos do Mendonça ele vai cumprir no Supremo”, disse o ex-capitão em evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. “Pautas conservadoras, econômicas, entre outras. Não vamos ter sobressalto com ele lá. Currículo vale, mas, para ser indicado para lá, tem de tomar Tubaína comigo. Do contrário, não dá certo.”

Bolsonaro também tornou a projetar a ampliação de sua influência sobre as decisões do Supremo ao se referir às próximas potenciais indicações.

“Quem se eleger no ano que vem tem duas vagas para o STF em 2023. Se eu vier candidato, terei 40% a meu favor no Supremo. A favor de mim ou das minhas ideias? Das ideias”, completou.

Ele fez alusão aos substitutos dos ministros Ricardo Lewandowski e Rosa Weber, que se aposentarão compulsoriamente em maio e em outubro de 2023, respectivamente.

Aos empresários, Bolsonaro também insistiu no discurso de que “não é fácil” ser presidente, mas afirmou se confortar “ao saber que não tem um comunista sentado na minha cadeira”.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!