CartaExpressa,Política

Bolsonaro é o preferido dos evangélicos, mas Lula vence nas demais religiões

Bolsonaro é o preferido dos evangélicos, mas Lula vence nas demais religiões

A maior diferença aparece entre os adeptos da umbanda e do candomblé, 78% votam no petista e apenas 3% no atual presidente, diz PoderData

Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil e Sergio Lima/AFP

Fotos: Marcelo Camargo/Agência Brasil e Sergio Lima/AFP

O presidente Jair Bolsonaro é a preferência da maior parte dos eleitores evangélicos para 2022. Esta, no entanto, é a única religião em que o atual presidente vence. Em todas as demais, o ex-presidente Lula é apontado como principal intenção de voto. Os dados são da mais recente pesquisa do PoderData divulgada nesta sexta-feira 6.

Entre os evangélicos , Bolsonaro tem 45% dos votos e Lula 26%. Já entre os católicos, 39% indicam preferência pelo petista e apenas 21% dizem votar no atual presidente.

Na umbanda e candomblé a diferença é ainda mais larga: 78% indicam votar em Lula e só 3% em Bolsonaro. Para os espíritas, o petista também é o preferido: 54% contra 24% do atual mandatário.

  • Ateus: Lula 38% e Bolsonaro 20%
  • Não tem religião: Lula 41% e Bolsonaro 8%
  • Outros: Lula 34% e Bolsonaro 31%

A pesquisa também indicou quatro nomes da chamada terceira via. Ciro Gomes (PDT) se destaca entre os ateus, com 24%; Datena (PSL) vai melhor entre quem não tem religião, com 23%; João Doria (PSDB) tem seu melhor percentual entre os católicos, 11%; e Luiz Henrique Mandetta (DEM) vai bem entre quem marcou a opção ‘outros’, com 16%.

Foram ouvidas 2.500 pessoas nas 27 unidades da Federação entre os dias 2 e 4 de agosto. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem