CartaExpressa,Política

Bolsonaro diz não entender quem vota em Lula

Bolsonaro diz não entender quem vota em Lula

Em conversa com apoiadores no cercadinho, o presidente ainda descontextualizou uma frase do petista para atacá-lo

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta sexta-feira 15, que não entende como o ex-presidente Lula é um candidato com reais chances de vitória na eleição de 2022.

“O povo escolhe o seu destino. Nós sabemos aqui o que todas essas pessoas fizeram no passado contra o Brasil. Tem gente que acha que a solução é ele voltar”, disse o presidente em conversa com apoiadores na saída do Palácio do Alvorada.

No cercadinho, o ex-capitão ainda descontextualizou uma frase do petista para atacá-lo. “Eu não entendo parte do povo brasileiro. O Lula fala ‘como pode a polícia prender um jovem só porque roubou um celular?’ É impressionante”, declarou.

Bolsonaro se refere a um discurso do ex-presidente feito em 2019 em ato político no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP). Lula, no entanto, falava sobre a violência policial contra jovens.

“O que nós queremos, na verdade, é que esta gente saiba que este país é nosso. Eu não posso, aos 74 anos de idade, ver essa gente destruir o país que nós construímos. Eu não posso ver aumentar o número de gente dormindo na rua. Eu não posso ver aumentar o número de mulheres jovens vendendo o seu corpo a troco de um prato de comida. Eu não posso ver mais jovem de 14 e 15 anos assaltando e sendo violentado, assassinado pela polícia, às vezes inocente ou às vezes porque roubou um celular”, disse Lula à época.

“Se as pessoas tiverem onde trabalhar, se as pessoas tiverem salário, se as pessoas tiverem onde estudar, se as pessoas tiverem acesso à cultura, a violência vai cair. E nós temos que dizer, contra a distribuição de armas de Bolsonaro, nós vamos distribuir livros, vamos distribuir emprego, vamos distribuir acesso à cultura. É esse país que nós queremos e sabemos como construir. É este país que a gente ver todo santo dia eles falarem que é preciso”, acrescentou.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem