CartaExpressa

Bolsonaro despreza mortes por Covid e tira foto com gíria ‘CPF cancelado’

Bolsonaro despreza mortes por Covid e tira foto com gíria ‘CPF cancelado’

A foto foi criticada nas redes sociais por ignorar índice de óbitos pela pandemia

O presidente da República, Jair Bolsonaro, posa para foto com apresentador de TV Sikêra Jr. Foto: Alan Santos/PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro, posa para foto com apresentador de TV Sikêra Jr. Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro posou sorrindo para uma foto em que segura uma placa com a gíria “CPF Cancelado”, expressão usada no meio policial quando alguém está morto. Na imagem, publicada no perfil oficial do Palácio do Planalto na internet, Bolsonaro aparece ao lado do apresentador Sikêra Jr., após entrevista na TV A Crítica.

A foto foi criticada nas redes sociais por manifestar desprezo ao índice de óbitos pela Covid-19. O Brasil já ultrapassou 389 mil vítimas fatais e 14 milhões de infectados.

Guilherme Boulos, candidato a presidência da República em 2018 pelo PSOL, escreveu que “CPF cancelado é uma gíria usada por milícias e grupos de extermínio para comemorar mortes”.

Líder da bancada petista na Câmara dos Deputados, Bohn Gass (PT-RS) classificou o discurso como “nazista” e disse que o gesto é de “supremacista branco”.

Jandira Feghali, deputada federal pelo PCdoB-RJ, disse que Bolsonaro “ironiza mortes” e “defende publicamente” práticas de extermínio.

Na entrevista, Bolsonaro criticou medidas de combate ao coronavírus adotadas por estados e municípios e afirmou que o Exército pode ir às ruas para acabar com o isolamento social.

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem