CartaExpressa,Política

Bolsonaro começa a derreter nas redes sociais

Bolsonaro começa a derreter nas redes sociais

Presidente viu as interações e visualizações nos seus perfis oficiais  no Facebook, no Instagram e YouTube caírem quase à metade

Foto: EVARISTO SA / AFP

Foto: EVARISTO SA / AFP

O presidente Jair Bolsonaro perdeu força nas redes sociais e viu as interações e visualizações nos seus perfis oficiais  no Facebook, no Instagram e YouTube caírem quase à metade.

Segundo o jornal Valor Econômico, baseado em dados da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas (DAPP/FGV), o perfil oficial do presidente no Facebook conseguiu superar a barreira de 20 milhões apenas uma vez nos últimos seis meses. Como comparação, em março e abril do ano passado, o perfil marcou seus recordes de interações (soma de comentários e marcações de reação ao post). Foram 31,8 milhões no primeiro mês e 34 milhões no mês seguinte.

De acordo com a matéria, alterações parecidas foram registradas no Instagram e no YouTube. A aparente exceção ocorre no Twitter.

Para o pesquisador Marco Aurélio Ruediger, coordenador do levantamento da DAPP, em entrevista ao Valor, os perfis de Bolsonaro perdem força porque o presidente vem sofrendo desgaste de imagem com a má gestão da pandemia e com a crise econômica.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem