CartaExpressa

Bolsonaro cita ruptura institucional e anuncia ação contra Moraes e Barroso

Bolsonaro cita ruptura institucional e anuncia ação contra Moraes e Barroso

Presidente reagiu à prisão do aliado Roberto Jefferson e afirmou que ministros do STF 'extrapolam os limites constitucionais'

Foto: Sergio Lima / AFP

Foto: Sergio Lima / AFP

O presidente Jair Bolsonaro reagiu, neste sábado 14, à prisão do ex-deputado Roberto Jefferson, detido preventivamente após determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

Desde a sexta-feira 13 aliados do presidente cobravam uma posição do mandatário.

“Todos sabem das consequências, internas e externas, de uma ruptura institucional, a qual não provocamos ou desejamos”, escreveu Bolsonaro em uma rede social.

“De há muito, os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, extrapolam com atos os limites constitucionais. Na próxima semana, levarei ao Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, um pedido para que instaure um processo sobre ambos, de acordo com o art. 52 da Constituição Federal”, acrescentou o presidente.

Jefferson é acusado de ataques às instituições democráticas após fazer reiteradas postagens na internet e conceder entrevistas em que chama integrantes do STF e do Senado de corruptos. O ex-deputado chegou a incitar a invasão do Parlamento.

Um dos alvos do presidente, o ministro Moraes também ordenou a abertura de uma investigação contra Bolsonaro por vazamento de inquérito sigiloso da Polícia Federal sobre uma invasão hacker ao sistema do Tribunal Superior Eleitoral em 2018.

Com a decisão, o mandatário se tornou alvo de mais uma apuração no âmbito do Inquérito das Fake News.

“Lembro que, por ocasião de sua sabatina no Senado, o Sr. Alexandre de Moraes declarou: “reafirmo minha independência, meu compromisso com a Constituição, e minha devoção com as LIBERDADES INDIVIDUAIS”, continuou Bolsonaro em um post no Twitter.

“O povo brasileiro não aceitará passivamente que direitos e garantias fundamentais (art. 5° da CF), como o da liberdade de expressão, continuem a ser violados e punidos com prisões arbitrárias, justamente por quem deveria defendê-los”, pontuou.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem