CartaExpressa

Bolsonaristas queriam promover ‘guerra institucional’ contra o STF

Bolsonaristas queriam promover ‘guerra institucional’ contra o STF

Relatório da Polícia Federal sobre atos antidemocráticos, divulgado pela TV Globo, mostra conversa entre Bia Kicis e empresário

A deputada Bia Kicis (PSL-DF). Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

A deputada Bia Kicis (PSL-DF). Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Um relatório da Polícia Federal sobre os chamados atos antidemocráticos aponta que aliados do presidente Jair Bolsonaro atuaram para promover uma “guerra institucional” contra o Supremo Tribunal Federal. O conteúdo do documento foi relevado pelo Fantástico, da TV Globo, no último domingo 6.

A PF analisou mensagens no celular do empresário bolsonarista Otávio Fakhoury que, em uma conversa com a deputada federal Bia Kicis, atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, chamou os ministros do STF de “canalhas” e sugeriu o enfrentamento das decisões da Corte sobre o combate à pandemia.

No dia 22 de maio de 2020, Bia enviou um áudio ao empresário. “O Barroso chegou a citar a hidroxicloroquina. Ou seja, estão querendo impedir né o Bolsonaro de… de recomendar, né?”.

Fakhoury respondeu: “Canalhas. Olha, vai ser muito difícil terminar esse governo sem entrar de cabeça numa guerra institucional contra eles, porque eles é que invadem o Executivo.”

À época, o ministro Luís Roberto Barroso foi o relator no julgamento que limitou a Medida Provisória que livrava agentes públicos de punição durante pandemia.

O relatório foi enviado em janeiro para a Procuradoria-Geral da República, que decidiu arquivar o caso.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem